Fundos de Investimento – Mobiliário e Imobiliário

Segundo a famosa Enciclopédia Livre Wikipédia um Fundo de Investimento é uma forma de aplicação financeira, formada pela união de vários investidores que se juntam para a realização de um investimento financeiro, organizada sob a forma de pessoa jurídica […] , visando um determinado objectivo ou retorno esperado, dividindo as receitas geradas e as despesas necessárias […].

Tomando esta definição como ponto de partida facilmente concluímos que existe um objectivo na criação de Fundos de Investimento que se pretende claro e resume-se na agregação de diversos investidores para captação de fundos para investimentos específicos.

Relativamente aos investimentos estes podem se classificar em dois grandes grupos:

  • Investimentos Mobiliários;
  • Investimentos Imobiliários.

Antes de partirmos para o desenvolvimento do artigo Fundos de Investimento – Mobiliário e o Imobiliário, aconselho à consulta dos artigos anteriores sobre o tema, nomeadamente;

FUNDOS DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO

Os Fundos de Investimento Mobiliário caracterizam-se pelo facto do seu património estar investido em valores mobiliários (tais como acções, obrigações, moeda, derivados, entre outros…).

Os tipos de Fundos de Investimento mais conhecidos são:

FUNDOS DE TESOURARIA

São caracterizados por possuírem no seu cabaz de activos as aplicações de curto prazo e de elevada liquidez (Ex: títulos da dívida pública, Obrigações).

São fundos de baixo risco e com uma rentabilidade equivalente às taxas de juro dos mercados monetários.

Este tipo de fundos é o veículo ideal para os investidores que valorizam a liquidez das suas poupanças e que são avessos ao risco.

FUNDOS DE ACÇÕES

São fundos cujo património está investido essencialmente em acções, na generalidade, mais de 60% do cabaz é constituído por acções.

Este tipo de fundo apresenta um risco maior que as restantes categorias de fundos dada a maior volatilidade dos activos que o compõe. De igual modo, as possibilidades de rentabilidade também são maiores e o risco e rentabilidade está directamente relacionado com o Pais e o Sector onde se inserem.

FUNDOS DE OBRIGAÇÕES

Estes fundos são compostos por obrigações e possuem um risco inferior aos fundos de acções no entanto, comparativamente com os fundos de tesouraria o risco associado é superior.

Existe uma desagregação dos fundos de obrigações na medida em que podem ser constituídos por obrigações de taxa fixa ou obrigações de taxa variável.

Em termos de rentabilidade potencial é superior aos fundos de tesouraria mas inferior aos fundos de acções.

FUNDOS MISTOS

Tal como o nome evidencia são fundos cujo património se reparte em acções e em obrigações, pelo que o nível de risco varia essencialmente com o peso relativo de cada um destes activos.

Assim sendo, se grande parte do património é acções o risco do fundo é superior e vice-versa.

FUNDOS DE ÍNDICE

Tal como o nome indica este tipo de fundos possui a sua rentabilidade associada a um índice, podendo ser um qualquer de acordo com a política de investimentos.

Este tipo de fundos possui risco consoante o índice que tenha adoptado.

FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO

Os fundos de investimento imobiliário surgiram em Portugal na década de 80 com o objectivo de possibilitar aos pequenos aforradores o acesso a investimentos imobiliários, que pela sua natureza, exigem elevados recursos financeiros.

Os Fundos de Investimento Imobiliário possui um âmbito de investimento particular, na medida em que opta por adquirir imóveis destinados à habitação ou arrendamento. No entanto, os gestores deste tipo de fundos tem particular preferência por imóveis destinados a arrendamento, como por exemplo, escritórios, espaços comerciais ou armazéns.

O circuito básico de um Fundo de Investimento Imobiliário resume-se ao seguinte circuito:

Fundo Imobiliário

Fundo Imobiliário

Como pode verificar a captação de novos investidores permitem aos gestores do fundo efectuar novos investimentos que um investidor individualmente não conseguiria. Tal vantagem também oferece segurança e comodidade para os investidores na medida em que não necessitam de gerir o património, porque o gestor efectua todos os procedimentos, desde a cobrança de rendas, obras nos imóveis, etc…

FINALIZANDO

Como podem verificar e apesar de os Fundos de Investimento possuírem uma conotação negativa junto do Público em geral devido a fortes quedas na valorização, sendo que, em alguns casos, perdas significativas, a verdades é que os Fundos de Investimento, devido à sua diversidade apresentam um potencial de ganho para o investidor independentemente da conjuntura económica que se esteja atravessar.

Assim sendo, é imperativo que o investidor compreenda o básico dos Fundos de Investimento é que tenha conhecimento dos activos que compõem a carteira do Fundo, pois estes, dirão se o potencial de rentabilidade existe e em que medida este depende da evolução do mercado. Assim, o investidor, atempadamente pode avaliar o risco e verificar se a rentabilidade esperada possui probabilidade de acontecer.

Até já…

About João

Economista, bancário, webmaster, coach e autor de diferentes blogs em diferentes áreas.

Website
View All Artigos

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>